segunda-feira, 7 de junho de 2010

Em busca da inocência perdida!

    Prestexto pra manutenção de amizades, lubrificante social, tempêro da vida! Digam o que disserem, álcool pra mim é antes de tudo a busca de uma inocência perdida (causa), e um desvaneio delator (consequência). É verdade que as consequências variam conforme a dosagem ingerida; dormir na rua, ser espancado ou acordar num hospital, são parte da minha amarga experiência. Assim como em outra parte, noites muito especiais e apenas uma ou duas taças de vinho.

 Inocência é contentar-se com o banco da praça,
 É andar distâncias enormes sem perceber.
 Inocência é restaurante vazio, íris, frio,
 É dormir coladinho, sem desligar a TV.
    
 É pau, é pedra, é o fim do caminho,
 É a menina loura do seio pequenino.
 Inocência é latido, sotaque, sorriso,
 Torta de abacaxi no portão do vizinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário